Corpo de paraense morta no Suriname é enterrado em Paramaribo

Foi sepultado, na tarde desta segunda-feira (15), em Paramaribo, no Suriname, o corpo da paraense Elisângela Ribeiro Domingos, de 33 anos, assassinada no início deste ano. Depois de várias tentativas da família de trazer o corpo ao Pará, o Instituto Médico Legal de Paramaribo disse que não podia mais esperar, pois o corpo estava em estado avançado de decomposição. O pai da vítima, José Luis Domingos, deu, então, a autorização para que o corpo da filha fosse enterrado naquele país.

paraense morta

O corpo de Elisângela foi encontrado no dia 1º de janeiro sem roupas e com várias perfurações em uma residência em Paramaribo. O caso está sendo investigado pela polícia do Suriname. Ninguém foi preso ainda.

A família de baixa renda, que mora no bairro Castanheira, em Belém, está muito abalada, por não ter tido apoio do governo brasileiro para realizar o traslado do corpo ao Brasil. “Baixaram para sete mil reais o valor do traslado de avião, mas, mesmo assim, o governo do estado não nos deu apoio nenhum. O nosso governo tem aeronave, mas em momento algum se fez solidário. Uma vergonha!”, desabafa o cunhado da vítima Marco Antônio Alves de Almeida.

O pai dela, de 70 anos, não ia conseguir nunca esse dinheiro. Ele até tentou pedir um empréstimo, mas o IML de lá disse que infelizmente não ia poder esperar. Estão todos arrasados aqui”, diz Marco. A família diz que tem o objetivo de ir ao Suriname assim que possível.

paraense morta

O sepultamento ocorreu por volta das 14h e foi providenciado por Roseli Garcia, amiga de Elisângela, que mora no Suriname. Segundo ela, o corpo foi liberado pela polícia e seguiu para uma sala do Hospital Acadêmico de Paramaribo (AZP), onde foi velado pelos amigos e conhecidos. Na ocasião ocorreu uma cerimônia religiosa presidida pelo diácono Carlos Eduardo, da Comunidade de Católicos Brasileiros no Suriname.

Participaram do velório o representante dos brasileiros no Suriname José Paulo Ribeiro e o representante da Embaixada Brasileira em Paramaribo Oniel Kasanoemar, que foi nomeado pela Embaixada para cuidar dos trâmites legais para o sepultamento em território surinamês.

O corpo de Elisângela foi sepultado no cemitério público “Openbare Begraafplaats”, localizado na Rahemalweg, no distrito de Wanica.“A mãe dela, aqui em Belém, está muito abatida, não dorme direito, quase entrando em depressão”, informa Marco.

Elisângela Ribeiro Domingos era a mais nova de cinco filhos. Ela saiu de Belém para trabalhar no Suriname no final do ano passado. “Ela dizia pra mim: ‘pai, eu vou pra lá, quando eu ganhar dinheiro vou ficar mandando pro senhor, pro senhor fazer uma casa pra mim’”, lembra o pai da vítima.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios