Justiça condena médicos que retiraram testículo de jovem

Juiz determinou pagamento de R$ 70 mil por dano moral ao entender que profissionais foram negligentes com ultrassonografia

A Justiça condenou dois médicos a pagarem R$ 70 mil de indenização por dano moral a um jovem em Belo Horizonte que teve o testíticulo direito retirado, em abril passado, após um diagnóstico errado.

Os médicos fizeram uma leitura equivocada da ultrassonografia e se omitiram ao não requerer novos exames. Sem o diagnóstico correto, a retirada do órgão foi inevitável.

Em abril deste ano, o paciente apresentava fortes dores e inchaço testicular e, por isso, procurou atendimento. O médico solicitou um exame de ultrassonografia a outro especialista sob a hipótese de storção testicular.

O exame atestou “epididimite no lado direito do testículo” e o paciente foi medicado com analgésicos.

Ainda assim, as dores aumentaram e o quadro se agravou nos dias seguintes. Após procurar um terceiro médico, o paciente foi diagnosticado com “sinais ecográficos de torção do cordão espermático”. Com o novo laudo, o jovem fez a cirurgia 12 dias da primeira consulta.

A sentença é do juiz da 28ª Vara Cível de Belo Horizonte, Joaquim Morais Júnior, que sentenciou os profissionais a pagarem a quantia, solidariamente, por negligência e danos morais à vítima.

Para o juiz, o primeiro médico que atendeu o cliente solicitou a realização de um ultrassom para avaliar a circulação dos vasos sanguíneos e o fluxo de sangue no órgão, mas o outro especialista realizou um exame bem mais simples, reduzindo a possibilidade de preservação do testículo.

Segundo o laudo pericial, não foram cumpridas as normas técnicas que determinam a realização de um exame conhecido como Doppler colorido, essencial para a diferenciação entre a epididimite e a torção testicular.

Fonte: R7

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios