Preço do pescado em Belém tem queda no 1º semestre de 2018

Segundo pesquisas do Dieese/PA, no mês de junho o pescado voltou a apresentar recuo de preço pelo terceiro mês consecutivo.

Um balanço do nosso velho conhecido Dieese/PA sobre a trajetória de preços dos pescados comercializados em mercados municipais de Belém no mês de junho revela que a maioria do pescado apresentou queda de preços por incrível que pareça. Já nos últimos 12 meses, a maioria permanece com os preços em alta como já de costume.

No mês de junho o pescado voltou a apresentar recuo de preço pelo terceiro mês consecutivo. A maioria do pescado pesquisado apresentou quedas de preços, com destaque para a Pirapema, com recuo de 26,40%; seguida da Sarda, com queda de 17,17% e da Traíra, com queda de 15,55%; da Tainha, com queda de 15,14%; Pescada Amarela, com queda de 12,29%; Peixe Pedra, com queda de 11,88%; Tucunaré, com queda de 8,30% e Tambaqui, com queda de 7,72%.

Também no mês de junho, algumas espécies de pescado apresentaram aumentos de preços, com destaque para o Curimata, com alta de 10,88%; seguido do Aracu, com alta de 10,60%; do Xareu, com alta de 6,70%; Tamuata, com alta de 4,91%; Cação, com alta de 3,31% e da Uritinga, com alta de 2,04%.

Já no primeiro semestre do ano, as principais quedas de preços foram observadas na Sarda, com recuo de 31,18%, seguida da Arraia, com queda de 17,76%; Peixe Pedra, com queda de 13,79%; Cangata, com queda de 13,65%; Bagre, com queda de 13,21%; Tainha, com queda de 12,66%; Xareu, com queda de 10,70%; Pescada Amarela, com queda de 9,68%; Peixe Serra, com queda de 8,54% e Mapará, com queda de 8,28%.

Ainda no período de janeiro a junho, algumas espécies de pescado apresentaram altas de preços, as mais expressivas foram: Traíra, com reajuste de 40,12%, seguida do Curimata, com alta de 19,90%; Tamuata, com alta de 19,46% e Camurim, com alta de 13,48%.

Mas, nos últimos 12 meses, diferente do balanço mensal e semestral, o cenário foi de alta no preço do pescado, várias espécies tiveram reajustes acima da inflação calculada em 3,53% para o mesmo período (INPC/IBGE). No período analisado, os maiores reajustes de preços foram verificados nos seguintes tipos de pescados: Pirapema, com alta de 34,50%, seguida do Camurim, com alta de 30,47%; Xareu, com alta de 17,97%; Curimata, com alta de 16,70%; Aracu, com alta de 16,42% e Tucunaré, com alta de 12,66%.

Algumas espécies também apresentaram recuos de preços, com destaque para a Sarda, com queda de 22,14%, seguida da Uritinga, com queda de 18%; Bagre, com queda de 14,57%; Traira, com queda de 14,30%; Cangata, com queda de 14%; Peixe Pedra, com queda de 11,81%; Pescada Amarela, com queda de 4,12% e o Filhote, com queda de 1,21%.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios