Susipe registra melhorias neste início de ano com redução do número de fugas nos presídios

O I Colégio de ex-superintendentes do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) reuniu, na última sexta-feira (8), ex-titulares da pasta para debater suas experiências na gestão prisional do Estado. O grupo se encontrará, mensalmente, para deliberar ações necessárias à melhoria do sistema carcerário paraense, bem como escolher os representantes para os conselhos penitenciários. A iniciativa partiu do atual secretário extraordinário de Estado para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, que apresentou um balanço das ações realizadas nos 30 primeiros dias da nova gestão estadual, assim como os números e resultados da Operação Opus. Durante a abertura as atividades do colégio, o planejamento estratégico do Governo para o sistema penitenciário também foi mostrado.

Sobre a Operação Opus, Jarbas Vasconcelos destacou que “a ação reduziu consideravelmente o número de fugas no sistema penitenciário do Estado. Em um comparativo anual tivemos uma sensível queda no número de fugas. Em janeiro de 2018, foram registradas 265 fugas no Complexo Penal de Santa Izabel. A partir da execução das ações da Operação Opus, agora em 2019, registramos apenas 41 fugas, no mês de janeiro. Significa, então, que nós estamos reduzindo efetivamente o número de fugas e tentativas de fuga em todo sistema prisional paraense”, avaliou o secretário.

Além de ex-titulares da Susipe, autoridades de outros órgãos ligados ao sistema prisional também puderam contribuir com sugestões para melhorias da gestão do cárcere. O juiz Moisés Flexa, fez considerações com relação à proposta da nova gestão de criar uma central de flagrantes. “Temos que criar essa grande central de flagrantes e as audiências de custódia. Para isso precisamos ter juízes de plantão, promotores, defensores, médicos legistas e espaço para os advogados. A central tem que funcionar 24 horas. Juntando todos esses órgãos lá será mais efetivo: quando a pessoa for presa em flagrante, ela será encaminhada à central, o juiz já faz a audiência, o promotor realiza a denúncia, o juiz aceita e instrui. Se a pena for maior que oito anos, a pessoa será encaminhada para a Susipe, se for menor que oito anos, já vai para medida alternativa”, explicou o juiz.

Ao final da reunião, Jarbas Vasconcelos comentou sobre o planejamento estratégico do Governo para o sistema prisional paraense. “A primeira medida da nova gestão é transformar a Susipe, que hoje é uma Autarquia, em Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Com a criação do novo sistema de estadual de administração penitenciária, o Conselho Penitenciário terá 11 membros, bem como um Conselho Estadual de Política Criminal e Penitenciária, com 19 membros. Além disso, três pastas adjuntas: operacional, gestão estratégica e de reinserção; trabalho, saúde e educação. O Fundo Penitenciário do Estado do Pará também será regulado por lei. Queremos restabelecer a disciplina no cárcere, resgatar o controle das casas penais do Estado e fazer cumprir a lei. Por isso estamos garantindo direitos, exigindo deveres e impondo a disciplina”, finalizou o secretário. (Melina Marcelino/Agência Pará)

susipe

O secretário Jarbas Vasconcelos apresentou resultados positivos da Operação Opus (Agência Pará)

susipe

Ex-titulares da Susipe e representantes de órgãos do sistema prisional sugeriram melhorias

Secretário para assuntos penitenciários enfatiza: “Queremos restabelecer a disciplina no cárcere, resgatar o controle das casas penais do Estado e fazer cumprir a lei”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios