XVII Festival de Ópera do Theatro da Paz

Duas óperas e um concerto de encerramento compõem a programação do XVII Festival de Ópera do Theatro da Paz, que abre com ”La vida breve”, de Manuel De Falla, amanhã (nove), com récitas nos dias 10 e 11, e segue com “Un ballo in maschera”, de Giuseppe Verdi, que estreia no dia oito de setembro, com récitas nos dias 10 e 12.  O concerto de encerramento será no dia 15 de setembro, às 20h, no Theatro da Paz.

“Já apresentamos óperas em italiano, francês, russo, inglês e, agora, pela primeira vez estamos colocando uma ópera de em espanhol em nossa programação. ‘La Vida Breve’ será visualmente muito bonita, trazendo, além da dança flamenca, a música tradicional espanhola. Já ‘Um ballo de maschera” é uma das óperas mais festejadas de Verdi, depois de sua trilogia de grande sucesso, “Il Rigolleto”, “Il Trovatore” e “La Traviata”. É um sucesso desde que foi apresentada pela primeira vez”, diz Gilberto Chaves, da coordenação geral do Festival de Ópera do Theatro da Paz.

“La Vida Breve” é uma ópera curta, tem dois atos e um pouco mais de uma hora de duração e será apresentada sem intervalo. Já a ópera de Verdi, “Um ballo de maschera” é mais longa, tem duas horas e vinte minutos de duração e três atos, contando com dois intervalos.

Composta em 1905, “La Vida Breve” só estreou em 1913, em Nice, e pertence à primeira fase da obra de Manuel de Falla, considerado o maior compositor espanhol do século XX. “Un ballo in maschera” faz parte do segundo período Verdiano, estreando no Teatro Apollo, em Roma, em 17 de fevereiro de 1859. É uma das óperas mais conhecidas em todo o mundo e será encenada, pela primeira vez, na Amazônia.

As duas óperas contam com a execução da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, com direção e regência musical do maestro Miguel Campos Neto, e com o coral lírico do festival, formado por 60 cantores, com regência de Vanildo Monteiro.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios